quinta-feira, 13 de julho de 2017

FÁTIMA EM FATOS E FOTOS (VII)

31. Como se deu a terceira aparição de Nossa Senhora?

A terceira aparição de Nossa Senhora, no início da tarde de 13 de julho de 1917, ocorreu de forma similar às duas primeiras, mas na presença de uma multidão muito maior que as anteriores, estimada desta vez em mais de duas mil pessoas. No centro da multidão e diante da azinheira, as três crianças rezavam o terço e olhavam ansiosas o céu em direção ao nascente. O pai de Francisco e Jacinta, Manuel Marto, encontrava-se ao lado das crianças desde o início da aparição e é dele o testemunho de ter vido uma espécie de nuvem de fumo se debruçar sobre a azinheira no momento em que Lúcia alertou a multidão para que se tirassem os chapéus ante a chegada de Nossa Senhora.

32. Como foi o diálogo de Lúcia com Nossa Senhora nesta terceira aparição?

Assim como na segunda aparição, assim que viu Nossa Senhora, Lúcia perguntou:

– Vossemecê que me quer? 
– Quero que venhais aqui no dia 13 do mês que vem; que continueis a rezar o terço todos os dias em honra de Nossa Senhora do Rosário, para obter a paz do mundo e o fim da guerra porque só Ela lhes poderá valer.
–  Queria pedir-lhe para nos dizer quem é e para fazer um milagre com que todos acreditem que Vossemecê nos aparece.
– Continueis a vir aqui todos os meses. Em outubro direi quem sou, o que quero e farei um milagre que todos hão de ver para acreditarem.

Lúcia fez então uma série de pedidos em intenções pela cura ou conversão de algumas pessoas, ao que Nossa Senhora responde que os pedidos deverão ser atendidos no prazo de um ano, mas insiste sempre na oração do terço, principalmente em família. No final deste diálogo de pedidos de intenções, Nossa Senhora, com expressão muito séria, diz à Lúcia:

– Sacrificai-vos pelos pecadores e dizei muitas vezes e em especial sempre que fizerdes algum sacrifício: 'Ó Jesus, é por vosso amor, pela conversão dos pecadores e em reparação pelos pecados cometidos contra o Imaculado Coração de Maria'.

Ao dizer estas últimas palavras, abriu de novo as mãos, como nos dois meses passados; o reflexo da luz que espargiam de suas mãos parecia penetrar a terra. Na sequência, as três crianças experimentaram a visão do inferno, assim descrita pelas palavras de Lúcia:

Vimos como um mar de fogo. Mergulhados nesse fogo, os demônios e as almas, como se fossem brasas transparentes e negras ou bronzeadas com forma humana, que flutuavam no incêndio, levadas pelas chamas que delas mesmas saiam, juntamente com nuvens de fumo, caindo para todos os lados, semelhante ao cair das faúlhas nos grandes incêndios, sem peso nem equilíbrio, entre gritos e gemidos de dor e desespero que horrorizavam e faziam estremecer de pavor. Os demônios distinguiam-se por formas horríveis e asquerosas de animais espantosos e desconhecidos, mas transparentes como negros carvões em brasa... [Lúcia, Quarta Memória]

Suspensa a visão aterradora do inferno e estremecidos de medo, as crianças volveram imediatamente os olhos para Nossa Senhora em busca de conforto que, as contemplando com imensa ternura, revelou à Lúcia um longo testemunho:

– Vistes o inferno para onde vão as almas dos pobres pecadores. Para as salvar, Deus quer estabelecer no mundo a devoção ao Meu Imaculado Coração. Se fizerem o que Eu vos disser, salvar-se-ão muitas almas e terão paz. A guerra vai acabar. Mas se não deixarem de ofender a Deus, no reinado de Pio XI começará outra pior. 

Quando virdes uma noite alumiada por uma luz desconhecida, sabei que é o grande sinal que Deus vos dá de que vai punir o mundo de seus crimes, por meio da guerra, da fome e de perseguições à Igreja e ao Santo Padre. Para a impedir, virei pedir a consagração da Rússia ao Meu Imaculado Coração e a Comunhão Reparadora dos Primeiros Sábados. Se atenderem aos meus pedidos, a Rússia se converterá e terão paz. Se não, espalhará os seus erros pelo mundo, promovendo guerras e perseguições à Igreja. Os bons serão martirizados, o Santo Padre terá muito que sofrer, várias nações serão aniquiladas. Por fim o Meu Imaculado Coração triunfará. O Santo Padre consagrar-Me-á a Rússia que se converterá e será concedido ao mundo algum tempo de paz. Em Portugal conservar-se-á sempre o dogma da fé , etc.

Isto não o digais a ninguém. Ao Francisco, sim, podeis dizê-lo. Quando rezardes o terço, dizei depois de cada mistério: 'Ó meu Jesus, perdoai-nos e livrai-nos do fogo do inferno, levai as almas todas para o Céu, principalmente aquelas que mais precisarem'

Seguiu-se um instante de silêncio, quebrado então por Lúcia:

– Vossemecê não me quer mais nada?
– Não, hoje não te quero mais nada.

E como de costume, Nossa Senhora começou a elevar-se em direção ao nascente até desaparecer na imensa distância do firmamento [Lúcia, Quarta Memória].

33. O que constitui os chamados Primeiro Segredo e Segundo Segredo de Fátima?


Do conjunto de mensagens que Nossa Senhora e Mãe de Deus revelou ao mundo em Fátima, as revelações feitas nesta terceira aparição foram sistematizadas em três partes distintas, numa abordagem que ficou mundialmente conhecida como Segredo de Fátima. As duas primeiras partes do Segredo foram formalmente reveladas por Lúcia em 1941, nas suas Terceira e Quarta Memórias e são as seguintes: 

(i) Primeiro Segredo: a perda eterna das almas e a visão do inferno 

Nossa Senhora, após ensinar às crianças uma oração pela conversão dos pecadores e em reparação pelos pecados cometidos, abriu as mãos e o reflexo dos raios de luz, que delas emanavam, pareceu penetrar a terra, revelando as visões do Inferno e do espantoso número de almas que são condenadas à danação eterna pela submissão ao pecado, assim descritas nas terríveis palavras de Lúcia: 

'... e vimos como que um mar de fogo: mergulhados neste fogo, os demônios e as almas, como se fossem brasas transparentes e negras, ou bronzeadas, com forma humana, que flutuavam no incêndio, levadas pelas chamas, que delas mesmo saíam juntamente com nuvens de fumo, caindo para todos os lados, semelhante ao cair das fagulhas nos grandes incêndios, sem peso nem equilíbrio, entre gritos e gemidos de dor e desespero que horrorizavam e faziam estremecer de pavor. Os demônios distinguiam-se por formas horríveis e asquerosas de animais espantosos e desconhecidos, mas transparentes como negros carvões em brasa...' 

(foto dos três videntes na tarde de 13/07/1917, após a visão do inferno)

(ii) Segundo Segredo: castigos universais e os meios para evitá-los

A segunda parte do Segredo, revelada às crianças na sequência imediata da visão do Inferno, consiste no anúncio do advento de grandes castigos para a humanidade, caso os homens não se convertessem e, principalmente, os meios de salvação colocados à disposição de todos e capazes de reorientar e modificar completamente as perspectivas previstas para as futuras gerações: a oração do Rosário, a prática dos Cinco Primeiros Sábados, a Devoção ao Imaculado de Maria e, de forma muito particular, a Consagração da Rússia ao Imaculado Coração de Maria, fato que, uma vez não ocorrendo, implicaria que os erros da Rússia seriam espalhados pelo mundo inteiro, levando inclusive ao aniquilamento de algumas nações.

34. O que se pode inferir sobre a terceira parte do Segredo de Fátima? 

A terceira parte do segredo, escrita por Lúcia em janeiro de 1944, nunca foi inserida no contexto de suas memórias publicadas. Mas a última frase das mensagens reveladas é bastante singular: 'Em Portugal se conservará sempre o dogma da fé, etc...'. Este etc... sugere que o texto da terceira parte do Segredo estaria a seguir (lembrando que a segunda parte sucedeu imediatamente a revelação da primeira parte). Mas a própria frase parece desconectada do contexto anterior, pois a referência específica (situação em Portugal) confronta com o texto prévio (dimensão universal dos castigos), de forma que pode se interpretar esta frase já no contexto da terceira parte do Segredo.

Se em Portugal o dogma da fé será mantido (e se esta afirmativa assume um caráter de tal relevância que mereça uma menção especial na mensagem), é razoável deduzir que este fato – a perda da fé – atingirá dimensões inconcebíveis no âmbito da história humana e terá proporções mundiais. Nesta concepção, a terceira parte da mensagem referir-se-ia à questão de uma apostasia generalizada e sem paralelo na história da humanidade. Uma crise de fé de tal relevância deveria estar intimamente relacionada a uma gravíssima crise da própria Igreja de Cristo e isto explicaria a não divulgação pública desta terceira e última parte do Segredo. 

A terceira parte do segredo constitui essencialmente, portanto, a revelação de uma profunda crise de fé e crise da Igreja, com a perda substancial da Verdade revelada, substituída por um sem número de doutrinas heréticas no campo dogmático e da moral e implementação de falsas liturgias, com profundo impacto nos valores do cristianismo autêntico e concessões crescentes ao permissivismo moral, ao agnosticismo e ao ateísmo. 


35. Que correlação interliga diretamente os Três Segredos de Fátima?

Na própria mensagem de Fátima, o Segredo aparece como três partes distintas de um todo, ou seja, existe uma relação direta e comum interligando as três partes do Segredo em uma única mensagem. Numa síntese geral, o primeiro segredo teve como foco a salvação pessoal do homem; o segundo segredo teve como foco a salvação da humanidade e o terceiro segredo teve por foco a salvação da cristandade, da própria fé cristã, da própria Igreja.

Neste contexto, a crise de fé e a apostasia universal (terceira parte do Segredo) seriam os fatores de condenação ao Inferno de um grande número de almas (primeira parte) e a causa fundamental para a sucessão de castigos que se abateriam sobre o mundo (segunda parte). Desta forma, a terceira parte constituiria , na verdade, a causa dos eventos descritos nas primeiras duas partes reveladas (perda das almas, representada nas aparições pela Visão do Inferno e os castigos universais, caso não se concretizassem a conversão dos homens). Para evitar e desfazer esta sincronia de males e tragédias, os meios disponibilizados por Nossa Senhora seriam, então, o Santo Rosário, a Consagração dos Cinco Primeiros Sábados e a Devoção ao Imaculado Coração de Maria.