quarta-feira, 17 de abril de 2019

OREMUS (107)

A sequência completa destes pensamentos e reflexões é publicada diariamente na Página OREMUS na Biblioteca Digital deste blog.

17 DE ABRIL

Sine intermissione orate [orai sem cessar (1Ts 5,17)]

A um grupo de crianças, um sacerdote narrava os milagres de um santo quando uma delas, inocentemente, lhe perguntou: 'Padre, porque o senhor também não é um santo?' Essa pergunta impressionou o sacerdote que reconheceu depois: 'Não sou um santo porque não rezo'.

É São Bernardo quem nos mostra o resultado da oração: a) Mentem purificat [purifica o espírito] — os pensamentos se elevam, arejados; b) Regit affectus [rege as afeições]  — os sentimentos e afetos não ficam às soltas; c) dirigit actus [direciona as ações] — o nosso trabalho deixa de ser mera agitação; d) corrigit excessus [corrige os excessos] — porque os mostra e indica os meios de correção; e) componit mores [regula os costumes] — sobrenaturaliza a nossa vida; f) vitam honestat et ordinat [dá rumo e ordem à vida] — a união com Deus põe tudo no seu devido lugar.

Compreendemos São Tiago recomendando: Tristatur aliquis vestrum? Oret. Aequo animo est? Psallat. [Alguém dentre vós está triste? Re­ze! Está alegre? Cante. (Tg 5,13)]. Quantas vezes eu me perguntar: 'por que não sou um santo?', tantas vezes terei que responder, com minha consciência: 'Não sou um santo porque não levo uma vida de oração'. E se eu não rezo, não serei nunca o padre que sonhei ser um dia.

(Oremus — Pensamentos para a Meditação de Todos os Dias, do Pe. Isac Lorena, 1963, com complementos de trechos traduzidos do latim pelo autor do blog)