quarta-feira, 12 de agosto de 2020

A VIDA OCULTA EM DEUS: A ESPERANÇA QUE GERA O ABANDONO


59. Como não se ter uma esperança invencível no fundo de nossos corações? Todo o poder de Deus é colocado a nosso serviço para conquistar a Si mesmo. Quanto menos direitos eu tenho, mais espero. Não mereço nada, por isso espero tudo. Porque você, meu Deus, é bom. Nossa verdadeira felicidade está oculta no que Deus nos dá para fazer ou sofrer no momento presente; procurá-lo em outro lugar é condenar-se a nunca encontrá-lo.

O que Deus quer de nós é um abandono filial e confiante. Afaste do seu espírito toda preocupação com o presente e com o futuro e, portanto, tudo que pode impedi-lo de ocupar-se de Deus hoje, agora. Não tome as coisas pelo seu lado mais trágico; basta que você as considere com seriedade. Normalmente elas não são tão pretas ou brancas quanto parecem. Tenha medida de tudo. Considere que a Providência guia tudo in suaviter et fortiter [com suavidade e firmeza], confiando às vezes na primeira palavra e, às vezes, na segunda. Faça como ela; não temos modelo melhor.

Quanto a você, considere as coisas apenas como são, sem voltar atrás. Deixe o passado para o passado e  assuma de pronto os deveres presentes. Repita continuamente a frase de São Paulo: 'Tudo concorre para o bem dos que amam a Deus' [Rm 8,28]. Portanto, ame a Deus, ou pelo menos tenha um desejo sincero de amá-lo; é o bastante. Mantenha a paz interior. 

60. Não podemos fazer nada mais do que depender de Deus. A nossa felicidade e a nossa grandeza consistem em ter tudo dele. Costumo expressar a minha alegria por não ter qualquer direito sobre Ele, porque, se o tivesse, não ficaria muito a dever à sua misericórdia. Adoro pensar que Ele não me deve nada. Se eu tivesse algum direito, não poderia ser tão ousado, nem poderia ficar tranquilo.

61. Nosso Senhor há de nos dar o seu amor, mas talvez não da maneira como se imagina. É muito mais simples. Não espere nada sensível... Ele vai nos transformar aos poucos. Não se preocupe com os provações futuras e atente-se ao dia de hoje. Encontre a sua felicidade no que você tem que fazer ou suportar hoje. Verdadeiramente ela vai estar nisso, mesmo que você não a experimente.

62. Não se preocupe com a medida dos sofrimentos que você terá de suportar. Eles não passarão de sofrimento. Assuma os sacrifícios que se impõem hoje, os de amanhã, amanhã e assim por diante. 

63. Não busque a perfeição de um vez só. Deus não age assim. Ele quer de nós um esforço lento, paciente e progressivo. Esses esforços darão frutos como prova de amor a Nosso Senhor. Eles vão ser colhidos aos poucos, gradativamente. Não desanime com a imensidão do trabalho. Você não trabalha bem quando se está agitado sob o pretexto de que há muito o que se fazer.

(Excertos da obra 'A Vida Oculta em Deus', de Robert de Langeac; Parte I -  O Esforço da Alma; tradução do autor do blog)