quarta-feira, 11 de setembro de 2013

GALERIA DE ARTE SACRA (VII)

A arte da azulejaria do século XVII em Portugal caracterizou-se pela produção seriada, mediante a formação de conjuntos que derivavam da repetição de um módulo comum, chamados padrões. Os revestimentos eram organizados segundo regras elementares que expressavam a definição de ritmos regulares verticais e horizontais, sublinhados por elementos secundários, as barras e cercaduras. Essa relativa simplicidade na produção e na aplicação permitia uma grande intensidade decorativa, com os azulejos a moldarem-se aos vários planos do suporte arquitetônico, num revestimento contínuo que se articulavam com as restantes artes decorativas. Azulejos especiais (muitos deles em arte sacra) decoravam espaços importantes entre os mosaicos gerais, como estes indicados nos exemplos abaixo.

(Daniel na Cova dos Leões)


(Nossa Senhora com o Menino Jesus)

(Jesus Crucificado)

(O Nascimento da Virgem)

(Nossa senhora da Conceição)


(São Miguel)

(A Partida do Filho Pródigo)

(Nossa Senhora, São José e o Menino Jesus)

(O sacrifício de Isaac)